VI Encontro Nacional de Aposentados da FASUBRA debate temas de interesse da categoria

Técnico-administrativos (as) em educação, de 25 entidades de base, somando 201 pessoas, participaram durante dois dias, 24 e 25 de outubro, do VI Encontro Nacional de Aposentados, Aposentandos e Pensionistas da FASUBRA Sindical, realizado no Teatro dos Bancários, em Brasília/DF. O evento foi organizado pela Coordenação de Aposentados e Assuntos de Aposentadoria e tratou dos principais assuntos que afligem os servidores públicos atualmente, além dos ataques em curso do governo Bolsonaro.

O coral Vozes do Cerrado do SINT – IFESgo abriu o evento e fez outras apresentações culturais no decorrer do encontro. O deputado federal Glauber Braga (PSOL/RJ) participou da mesa de abertura e falou sobre os bastidores do Congresso Nacional e os ataques do atual governo.

O parlamentar lembrou que a reforma da Previdência (PEC 06/19) foi aprovada sob o argumento de que não há dinheiro em caixa para pagar as aposentadorias, que as pessoas não vão ter rendimento no futuro. “É um canhão midiático em cima da gente. O que não falam é que votaram uma renúncia fiscal de R$ 1 trilhão para as multinacionais do petróleo. Quanto é que o Paulo Guedes dizia que queria deixar de gastar fazendo a reforma da Previdência? Não era R$ 1 trilhão? Então quer dizer que quem lutou a sua vida inteira não tem direito a uma aposentadoria digna?”, questionou Braga.

Entre os diversos ataques do atual governo, o deputado federal falou sobre as privatizações e citou o projeto que busca a privatização da água e do saneamento do Brasil todo. “Os exemplos internacionais mostram que onde a água foi privatizada, o povo não conseguiu pagar. Vários países no mundo, principalmente na Europa estão reestatizando a água”, alertou.

O coordenador-geral da FASUBRA Marcelino Rodrigues da Silva destacou o caos social enfrentado pelos chilenos na ocasião. “É o governo (Chile) tendo que admitir uma nova política de Previdência porque os companheiros(as) estão em condição abaixo da linha de pobreza. E é isso que nós estamos vendo passar e acontecer, não sem luta, não sem reação, no estado brasileiro”, lembrou, lamentando a recente aprovação da reforma da Previdência.

Marcelino falou da alegria de participar de um evento com aqueles que construíram a história da FASUBRA e disse que é extremamente importante organizar a luta dos aposentados e pensionistas. “O momento é muito preocupante, requer mais firmeza dessa Federação e unidade do conjunto das federações do setor privado e público. Requer ainda a denúncia das políticas de destruição total do que foi construído na área de bem-estar social para o conjunto da população, além de atacar o servidor público”, afirmou.

Nos intervalos das palestras, os participantes se reuniram em grupos de trabalho para discutir sobre o relatório do V Encontro Nacional com orientações à FASUBRA, à base, e temas como a correção e as distorções no PCCTAE, moções e a Portaria nº 562, de 14 de outubro de 2019. No final do encontro, os grupos enviaram as orientações atualizadas.

Veja mais fotos do encontro.