Servidores públicos demonstram disposição de unidade em ato na Câmara dos Deputados

Centenas de servidores públicos de diversos setores e parlamentares lotaram o auditório Nereu Ramos da Câmara dos Deputados, nesta quarta-feira (12), contra o desmonte do Estado brasileiro, as privatizações, as PECs do Plano Mais Brasil, a proposta de reforma administrativa (que será enviada ao Congresso Nacional) e em resposta às recentes declarações do ministro da Economia, Paulo Guedes, que os classificou como “parasitas”. Veja a íntegra do ato.

Pela manhã foi realizado ato político da Frente Parlamentar Mista em defesa do Serviço Público, juntamente com as centrais e entidades sindicais e, à tarde, especialistas participaram do seminário “Reforma Administrativa: Desmonte do Estado como Projeto”. Coordenadores da FASUBRA Sindical e técnico-administrativos(as) em educação da base da Federação do SINTUFF, SINTFUB, SINT-IFESgo e ASSUFRGS participaram do ato público e acompanharam o seminário.

A deputada federal Alice Portugal (PCdoB/BA), uma das coordenadoras da Frente Parlamentar, abriu o ato pedindo que todos repetissem em alto e bom tom “nós não somos parasitas, somos os servidores públicos do Brasil”. Para a parlamentar, é isso que tem que ficar gravado na memória, na luta, para responder àqueles que desrespeitam quem na ponta do sistema leva o serviço público, as políticas públicas aos brasileiros e brasileiras, especialmente aos que mais precisam.

Parlamentares da oposição se revezaram na tribuna com representantes das centrais sindicais durante toda a manhã e criticaram os inúmeros retrocessos, consequência de medidas do atual governo, além dos ataques aos serviços públicos e a privatização de estatais.

Protesto da FASUBRA contra as declarações de Paulo Guedes

“A nossa luta não é pura e simplesmente contra a reforma administrativa, mas é uma luta contra o desmonte do Estado brasileiro. O que esse governo tem feito é desmontar o Estado e, acima de tudo, assassinar as pessoas da periferia desse país. Porque uma vez que você diminui o quadro de trabalhadores do serviço público na periferia, você está levando as pessoas mais necessitadas ao caos e à morte”, analisou o coordenador-geral da FASUBRA Antonio Neto, durante a fala da Federação.

“Estamos aqui porque não vamos aceitar sermos chamados de parasitas, vamos à luta e, no dia 18 de março, com certeza vamos fazer a maior greve do país. Parasita é o ministro Paulo Guedes, parasita é o governo Bolsonaro”, destacou o coordenador-geral da FASUBRA José Maria Castro em live para as redes sociais.

Manifestação dos Correios durante o ato

O seminário “Reforma Administrativa: Desmonte do Estado como Projeto” contou com os palestrantes Félix López (sociólogo), José Celso Cardoso Jr. (economista) e Paulo Kliass (economista). Confira a íntegra do seminário.