FASUBRA denuncia os ataques do Ministério da Educação no 6º Congresso da Contua

A FASUBRA Sindical participou de uma mesa sobre a conjuntura no Brasil, durante o 6º Congresso Geral Ordinário da CONTUA, na segunda-feira (2/12), e denunciou os ataques do Ministério da Educação e do governo Bolsonaro à educação brasileira. O congresso aconteceu na Cidade do México, México, na Universidade Nacional Autônoma do México, e terminou na terça-feira (3).

Os coordenadores da FASUBRA Sindical Antonio Alves Neto e Fernando Maranhão falaram no painel “Brasil: El proyecto Future-se, y sus posibles derivaciones em toda la region. Estrategia de la Contua para enfretarlo”.

Na ocasião, os representantes da Federação destacaram que o projeto Future-se ataca a autonomia universitária, entrega as universidades à iniciativa privada e também altera a forma de contratação dos técnico-administrativos(as). Além do projeto, denunciaram todos os ataques feitos às universidades e institutos federais e aos trabalhadores(as) brasileiros no decorrer do ano.

A FASUBRA Sindical destacou que, em contraponto ao projeto do governo que entrega as universidades ao mercado, existe o Projeto “Universidade Cidadã” para os trabalhadores(as) da Federação, mas o atual ministro sequer recebeu os representantes das entidades sindicais para debater a proposta do Future-se. O projeto da FASUBRA foi construído com a perspectiva de inclusão de todos os atores envolvidos no processo da educação, com garantia de inclusão e relevância social para o estabelecimento de uma educação libertadora, pública, gratuita, de qualidade e democrática.

A Confederação de Trabalhadores das Universidades das Américas, CONTUA, representa 25 sindicatos e federações de 18 países das Américas, entre elas a FASUBRA Sindical, totalizando mais de 700.000 trabalhadores(as).

Fotos: assessoria do STUNAM (Sindicato de Trabajadores de la Universidad Nacional Autónoma de México)