Fasubra Sindical

Switch to desktop Register Login

NEGOCIAÇÃO AVANÇA, MAS FASUBRA BUSCA MAIOR ÍNDICE DE REAJUSTE

Em reunião hoje (15), no Ministério do Planejamento Orçamento e Gestão (MPOG) a respeito das reivindicações da categoria. A Federação foi recebida pelo secretário de Relações de Trabalho do Ministério do Planejamento Sérgio Mendonça e pela secretária adjunta  Marcela Tapajós e Silva, além de representantes do Ministério da Educação (MEC).

A reunião aconteceu na sede do MPOG, em Brasília. Pela FASUBRA estavam presentes Janine Teixeira, Paulo Henrique dos Santos, Gibran Ramos, Rosângela Costa e Fátima dos Reis. Pelo Comando Nacional de Greve (CNG) participaram Francisco das Chagas Araújo, Sônia Maria de Melo e Josequias Santos.

O governo apresentou uma melhora significativa na proposta apresentada anteriormente. Há 64 dias em greve, os técnico-administrativos começam a avançar nas negociações depois de muito trabalho e empenho da direção nacional da FASUBRA e do CNG. A melhora se refere ao step de cerca de 3,8%, antes não oferecido. Outro avanço importante são os itens que se referem aos anexos III e IV da pauta, que dispõem sobre os incentivos por capacitação e qualificação. Estes pontos, a partir da tratativa, passam a contemplar todos da carreira.

Para a FASUBRA, o crescimento da proposta é um passo importante, mas a Federação acredita em possibilidades melhores. “Foi uma grande vitória. Saímos do zero para uma proposta real. Entretanto, não estamos satisfeitos com o percentual de 15,8% em três anos. Vamos continuar trabalhando para aumentá-lo”, afirmou a FASUBRA.

A reunião , que durou cinco horas, se encerrou sem o fechamento de acordo, mas com uma nova agenda para hoje (16) às 19h, onde negociação será retomada. Pela manhã, os representantes dos técnico-administrativos se reúnem com o MEC para buscar mais recursos para a proposta.

Por João Camilo
Jornalista

CNG REALIZA ATO PELA NEGOCIAÇÃO DA PAUTA DA GREVE

Hoje (14), em frente ao Ministério do Planejamento (MPOG) a FASUBRA e Comando Nacional de Greve realizaram mais um ato simbólico. Fizeram o aniversário da paralisação, que completou dois meses no último dia 11 de agosto.

Os técnico-administrativos cantaram parabéns, distribuíram bolo e balões para funcionários do MPOG e visitantes. O evento marca a presença da Federação e reforça o movimento.

Representantes da categoria serão recebidos hoje à tarde pelo secretário de Relações do Trabalho Sérgio Mendonça. A reunião acontece às 17h e a FASUBRA aguarda uma contraproposta do governo para a pauta da greve.

Por João Camilo
Jornalista

mpog1408 3bOs técnico-administrativos cantaram um "parabéns" simbólico 

mpog1408 1c

Fatias de de bolo foram distribuídas pelo aniversário de 2 meses da greve 

FASUBRA SOLICITA QUE MEC TRABALHE PELA MELHORA DA PROPOSTA OFERECIDA

Depois de receber a proposta do governo para um percentual de 15% em três anos, a FASUBRA já se movimenta para que a proposta esteja de acordo com as expectativas da categoria. Nesse sentido, solicitou hoje (08) ao Ministério da Educação (MEC) que defenda o aumento do percentual, altere o step e realize uma agenda para garantir os outros pontos da pauta da greve.

A reunião realizada na sede do MEC, em Brasília, contou com a presença de Janine Teixeira, Paulo Henrique dos Santos, Gibran Ramos, Rosângela Costa e João Paulo Ribeiro pela direção nacional da FASUBRA. Pelo MEC, o ministro Aluizio Mercadante, o secretário executivo da pasta Cláudio Paim e o secretário de Educação Superior Amaro Lins.

Mercadante disse que a categoria recebeu um tratamento diferente e isso tem que ser considerado. "A leitura que tem que ser feita é que vocês foram tratados com grande deferência, sendo chamados antes que outras categorias para a negociação. Assim como já fiz, vou trabalhar para avançarmos, mas vocês precisam se esforçar para que haja acordo", ponderou o ministro.

Para o ministro a categoria de técnico-administrativos tem que aproveitar essa possibilidade apresentada. Diante disso, os representantes da Federação informaram que tem total interesse de negociar, mas sem admitir perdas para a categoria. "Temos consciência de que o acordo é a melhor opção. Isso era o que buscávamos desde o começo. Entretanto, não podemos aceitar um reajuste pequeno e desprezar os outros itens da nossa pauta de negociação. Temos intenção de fechar acordo, mas a proposta tem que ser bem melhor", afirmou a FASUBRA.

A federação lembrou que existem, ainda, mais questões a serem resolvidas. "Queremos também ter uma agenda para garantir que a aplicação de todos os pontos que, por ventura, não puderem ser contemplados nessa proposta, sejam cumpridos em prazo determinado, sem perdas para os técnico-administrativos", concluiu a direção nacional.

No final da reunião, o ministro reforçou a sua posição em ajudar a categoria em ter uma proposta mais próxima do que querem os técnicos. A próxima reunião para tratar do assunto será no MPOG, sexta-feira (10).

Por João Camilo
Jornalista

GOVERNO PEDE TEMPO PARA ANALISAR CONTRAPROPOSTA DA FASUBRA

A FASUBRA apresentou na última sexta-feira (10) uma contraproposta para  ao Ministério do Planejamento Orçamento e Gestão (MPOG) a respeito das reivindicações da categoria. O governo havia oferecido na reunião anterior um aumento de 15,8% parcelado em três vezes até 2015. Já os técnico-administrativos querem esse percentual pago em uma só vez em 2013, além da negociação dos outros itens da pauta da greve. A Federação foi recebida pelo secretário de Relações de Trabalho do Ministério do Planejamento Sérgio Mendonça e pela secretária adjunta  Marcela Tapajós e Silva.

A reunião aconteceu na sede do MPOG, em Brasília. Pela FASUBRA estavam presentes Janine Teixeira, Paulo Henrique dos Santos, Gibran Ramos, Fátima dos Reis e Rosângela Costa. Pelo Comando Nacional de Greve (CNG) participaram Betânia Fernandes, Assis, Humberto Pietonero. Também participaram da mesa o secretário de Educação Superior Amaro Lins e Dulce Maria, representando o Ministério da Educação (MEC) e representantes do SINASEFE.

Há dois meses em greve, os técnico-administrativos por meio de sua representação, iniciaram a reunião apresentando a contraproposta ao MPOG. Deixaram claro que todas as assembleias de base rejeitaram a proposta do governo.

O MPOG pediu um tempo para analisar os pontos da contraproposta dos técnico-administrativos. “Ainda nessa semana fechamos nossa proposta orçamentária. Das solicitações da categoria, quanto à alternativa de conceder os 15% em única parcela no ano de 2013, descartamos de imediato, por uma questão de inviabilidade econômica”, informou Mendonça.

No final da reunião, a representação do SINASEFE solicitou que se reabram as negociações com os docentes. O governo respondeu que sua prioridade é avançar na agenda com os técnico-administrativos em educação. Quando concluir com a esta categoria, poderá discutir qualquer adendo à proposta dos professores, uma vez que já foi assinado um acordo com uma das entidades representativas dos mesmos.

O governo ficou de estudar a contraproposta e dar uma resposta em nova reunião agendada para terça-feira (14), às 15h.

Por João Camilo
Jornalista
Foto: Ana Carolina Azevedo

FORÇA E ESTRATÉGIA DO MOVIMENTO FAZ GOVERNO APRESENTAR CONTRAPROPOSTA

Depois do grande empenho da direção nacional da FASUBRA e do Comando Nacional de Greve (CNG), finalmente o Ministério do Planejamento Orçamento e Gestão (MPOG), convidou a federação para apresentar uma contraproposta, que, apesar de insatisfatória, já configura uma vitória e demonstra  a força da greve da FASUBRA. A reunião aconteceu na última segunda-feira (06).

Representando os trabalhadores técnico-administrativos em educação pela FASUBRA Janine Vieira, Paulo Henrique dos Santos, Gibran Ramos, Rosângela Gomes e João Paulo Ribeiro. Pelo CNG estiveram  Rodolfo Santos (UFRJ), Celso Carvalho (APTAFURG), Francisco Pierre (SINTUFCE). 

A Federação foi recebida pelo secretário de Relações de Trabalho do Ministério do Planejamento Sérgio Mendonça e pela secretária adjunta  Marcela Tapajós e Silva. Também participaram da mesa o secretário de Educação Superior Amaro Lins e Dulce Maria, representando o Ministério da Educação (MEC). 

Antes ainda da reunião começar, o Governo resolveu intervir na decisão da FASUBRA de levar representantes das bases para a mesa de negociação. O MPOG tentou impedir a participação de três integrantes do CNG, previamente escolhido por sorteio para participar da reunião, alegando que só receberia a direção nacional da Federação. Isso causou tensão e atraso na reunião. A questão só foi resolvida depois de contatos com parlamentares que apoiam o movimento. 

Os coordenadores da FASUBRA foram firmes. “Se nossas bases não participarem não haverá reunião. Somos responsáveis por quem vai nos representar. Acaso intervimos junto ao Governo, escolhendo quem negociaria conosco pelo MPOG?”, argumentou a direção. Mendonça cedeu e convidou os representantes do CNG. 

A reunião então seguiu com o governo federal oferecendo uma proposta de reajuste salarial de 15,8% parcelado em três vezes até 2015. Pela proposta, os técnico-administrativos receberão 5% de reajuste em 2013, mais 5% em 2014 e outros 5% em 2015, resultando um aumento cumulativo de 15,8% sobre os atuais salários. “A proposta vai atingir 182 mil técnico-administrativos das universidades e institutos federais e gerar um impacto de R$ 1,7 bilhão em três anos no orçamento da União. Esse é o nosso limite até então”, acrescentou Mendonça.