Fasubra Sindical

Switch to desktop Register Login

SEMINÁRIO DA FASUBRA SINDICAL DISCUTE RACISMO, VIOLÊNCIA CONTRA A MULHER E DIVERSIDADE

seminariosviolenciaeracismo1

A FASUBRA Sindical realizou na manha desta quinta-feira (22) seminário para discutir racismo, violência contra a mulher e diversidade. A mesa de abertura foi composta pelos três coordenadores gerais, Janine Vieira Teixeira, Gibran Jordão e Paulo Henrique dos Santos.

Abrindo os trabalhos, os coordenadores falaram da importância de Zumbi dos Palmares que é o símbolo da luta contra o racismo no Brasil. Foi dito ainda sobre a importância do debate sobre a violência contra a mulher que ainda hoje no país se mata 10 mulheres por dia, sendo que 70% dos agressores são o marido, ex-marido e companheiros. Só no ano de 2010, 615 mil mulheres acionaram o Disque Denúncia 180.

Foi lembrado também o covarde assassinato do jornalista Lucas Cardoso Fortuna, que era militante da causa LGBT, foi membro da ENECOS e atualmente era presidente do PT da cidade de Santo Antonio de Goiás. Lucas foi encontrado morto em uma praia em Recife essa semana, com marcas de espancamento e nada de valor foi roubado. Um crime que demonstra o ódio homofóbico que ainda existe em nossa sociedade.

Em seguida foram compostas as mesas específicas sobre racismo e diversidade, com as palestras feitas pelos convidados da FASUBRA Sindical para o evento, que reúne no auditório da CNTI delegados e delegadas escolhidos nas assembleias dos sindicatos de base para participar tanto dos seminários quanto da plenária que acontecerá amanhã (23) e no sábado (24).

Texto: Carla Jurumenha (ASCOM) com informações da Coordenação-geral.

FASUBRA PARTICIPA DE AUDIÊNCIA PÚBLICA QUE TRATA DO PROJETO DE LEI DO ACORDO DE GREVE

audienciaplacordo2

A FASUBRA Sindical participou, hoje (20), da Audiência Pública sobre o Projeto de Lei nº 4368/12, que trata da estrutura do Plano de Cargos e Carreiras do Magistério Federal e altera a remuneração do Plano de Cargos Técnico-Administrativos em Educação, ou seja, o PL que trata do Acordo de Greve.

O coordenador-geral da FASUBRA, Paulo Henrique dos Santos, representou a categoria na mesa da audiência, ocorrida no Plenário 12 da Câmara dos Deputados, onde também estiveram o secretário de Relações do Trabalho no Serviço Público do MPOG, Sérgio Mendonça; o secretário de Educação Superior do MEC, Amaro Lins; a presidente do ANDES – Sindicato Nacional, Marinalva Silva; o presidente do PROIFES, Eduardo Rolim e da representante do SINASEFE, Maria Aparecida Rodrigues; o presidente da Comissão de Trabalho e Serviço Público, deputado Sebastião Bala e o relator do PL 4368/12 na comissão, deputado Alex Canziani.

Logo no início da reunião, o autor do requerimento para realização da audiência, deputado Alex Canziani, afirmou que o governo tem urgência para a aprovação do PL para que em janeiro próximo os servidores contemplados possam receber os salários reajustados.

Mesmo com a afirmativa inicial, várias foram as queixas dos representantes das categorias acerca do PL. Marinalva Silva, do Andes, afirmou que a entidade não tem pressa na aprovação do PL, pois ele contém modificações que vão impactar negativamente a categoria, por isso a entidade apresentou um documento contendo 16 propostas de emendas do texto original do PL.

Por sua vez, o representante do PROIFES, Eduardo Rolim, disse que os professores associados da entidade apoiaram a proposta do governo. “Não é um acordo que absorva todas as demandas da categoria, mas esperamos que ele seja aprovado ainda este ano”, ponderou.

 Já a representante do SINASEFE, Maria Aparecida, defendeu emendas que tenham por objetivo resolver as questões de carga horária dos professores dos ex-territórios e colégios militares, de forma que eles escolham sobre a jornada de trabalho de 40 horas semanais.

Após as falas dos sindicalistas, o relator do Projeto na CTASP, Deputado Alex Canziani, voltou a reiterar que há interesse em votar o Projeto de Lei mais rápido possível, no que foi acompanhado pelo presidente da Comissão, deputado Sebastião Bala. “É impossível que todas as reivindicações sejam contempladas em um acordo, mas as audiências públicas são oportunidades de dar continuidade ao processo, e a nossa intenção é de votar com a maior brevidade possível”, reafirmou.

Em seguida foi a vez do coordenador-geral da FASUBRA, Paulo Henrique dos Santos ocupar o microfone para falar do PL 4368/12. O dirigente da federação afirmou que a categoria tem amplo interesse na aprovação do PL, mas acrescentou que é preciso corrigir parte do PL cuja redação está confrontando com o que foi aceito pela categoria. Segundo Paulo Henrique, existem aspectos do Anexo III, no que tange à carga horária de cursos de capacitação, principalmente quando à retroatividade que devem ter o texto alterado. “Nós temos reuniões com MEC e MPOG com vistas à correção do PL. Mas a perspectiva é de que o projeto seja votado rapidamente para que não haja instabilidade no seio da categoria”, alertou.

Falando pelo MEC, o secretário de Ensino Superior, Amaro Lins, fez um relato dos avanços no setor nos últimos anos, abordando o processo de expansão das IFES, apresentando uma projeção sobre o quantitativo de pessoal docente e técnico das universidades, e qualificando como grande conquista a criação do cargo de professor cargo-livre e a manutenção da paridade entre ativos e aposentados da carreira docente.

Sérgio Mendonça, secretário de Relações do Trabalho do MPOG, historiou como ocorreu e como vêm ocorrendo os processos de negociação, revelando que em 10 anos de governo foram fechados 105 processos de acordo salarial e revelou o impacto financeiro da aprovação do PL nas contas do governo. “Quando o PL entrar em vigor serão R$ 6,1 bilhões aplicados na educação”, apontou.

Em seguida, os microfones foram abertos para as falações da audiência, num total de 15 inscrições onde professores, técnicos e assessores jurídicos expuseram as realidades específicas de seus estados quando às questões de carreira e salário. A maioria das falações ocorreu no sentido de alterar artigos do PL.

 A FASUBRA, além de ocupar a mesa, fez duas intervenções. A primeira foi da diretora Rosângela Costa, da coordenação de Educação, que aproveitou a oportunidade para cobrar do secretário Sérgio Mendonça a realização das reuniões dos grupos de trabalho, que foram suspensas pelo Ministério. Ela foi apoiada pela coordenadora de Relações do Trabalho, Vanda Santos, que fez a mesma denúncia, além de solicitar alterações nos artigos 41 a 49 do PL, de forma o mesmo abarque as demandas da categoria.

Quase encerrando a audiência, depois de o deputado Alex Canziani, afirmar que as propostas dos sindicalistas serão analisadas pela CTASP, a FASUBRA conclamou os deputados a destinarem recursos dos royalties do petróleo para a Educação e ouviu dos mesmos que a Câmara já havia agido neste sentido, e que agora “seria possível conversar”.

___________________________________________________________________________

Texto – Carla Jurumenha – ASCOM FASUBRA Sindical

FASUBRA NA LUTA CONTRA O CÂNCER DE PRÓSTATA

novembroazul

   Se na FASUBRA Outubro foi o mês cor-de-rosa, por conta do apoio da federação à Campanha Outubro Rosa - de combate ao câncer de mama -, Novembro é de incentivo total para que todos os homens, principalmente os técnico-administrativos das IFES, participem da Campanha Novembro Azul, que tem no sábado (17), o ponto central, pois é quando se realiza em todo o mundo o Dia Mundial de Combate ao Câncer de Próstata.

   A campanha serve de alerta e tem por objetivo incentivar homens com idade a partir de 50 anos, a procurar os postos de saúde, para realizarem os exames de rotina e precaverem-se contra a doença. Isso porque, quando diagnosticado logo no início, os riscos de morte da pessoa já acometida pelo câncer são bastante reduzidos.

   O câncer de próstata, de acordo com o Instituto Nacional do Câncer, é o segundo que mais atinge os homens, sendo superado apenas pelo câncer de pele e ocupa a sexta posição entre os cânceres que se manifestam no sexo masculino, sendo responsável por 10% do total de casos registrados no planeta.

O que é – Esse tipo de câncer gera um tumor na glândula próstata que integra o aparelho reprodutor masculino e é responsável pelo armazenamento do fluído seminal.

Prevenção – Médicos especialistas apontam como formas de prevenção que os homens tenham uma dieta rica em frutas, verduras, legumes, grãos e cereais integrais e com baixo teor de gordura, mantenham o hábito de fazer atividades físicas diariamente, permaneçam com peso proporcional à altura e abdiquem do fumo e do álcool.

Sintomas – Uma das razões pelas quais as campanhas contra o câncer de próstata existem é que ele é uma doença silenciosa, cujo tumor cresce até certo ponto sem sintomas. Somente em estágios mais avançados, o paciente pode sentir dificuldades para urinar, ter a sensação de que a bexiga não foi totalmente esvaziada e detectar a presença de sangue na urina.

Exames – Considerada uma doença da terceira idade, pois mais de três quartos dos casos acometem homens com idade superior a 65 anos, o câncer de próstata normalmente demora a ser diagnosticado por conta da reserva (preconceito) que a população masculina tem com relação ao exame de toque retal.

    Esse é o exame mais eficiente para detectar a doença, principalmente quando aliado ao exame de sangue específico (PSA,) que identifica a presença de uma proteína produzida na próstata, e que seria o indicativo de que a pessoa desenvolve o câncer.

Tratamento – Caso seja realmente constatado, o câncer de próstata pode ser tratado por meio de radioterapia, cirurgia e até mesmo tratamento hormonal. Quando já está em fase metastática (tendo se expandido para outras partes do corpo), a forma de tratamento envolvida é a terapia hormonal.

Próstata – Apróstata é uma glândula masculina localizada na parte baixa do abdômen, cuja forma assemelha-se à de uma maça, localizando-se abaixo da bexiga e à frente do reto.

   Para que o homem se previna contra a doença, a Sociedade Brasileira de Urologia aconselha que todos os homens, com idade superior a 45 anos (se constatado casos da doença na família), façam o exame uma vez a cada ano, com exigência de que o médico realize o toque retal e o exame de sangue PSA (antígeno prostático específico).

   Assim, homens e mulheres, que formam os Técnico-administrativos das IFES, entrem na luta da FASUBRA que apoia inteiramente a Campanha Novembro Azul e incentive, recomende os cuidados preventivos que se deve adotar contra a doença. Afinal, na vida nada é mais importante que a saúde.

____________________________________________________________________________________

Por: Carla Jurumenha – ASCOM FASUBRA Sindical

XXI SEMINÁRIO NACIONAL DE SEGURANÇA DAS IPES – UFPA

seminariovigilantes1

A FASUBRA SINDICAL está apoiando a realização do XXI Seminário Nacional de Segurança das IPES, que acontecerá de 26 de novembro a 01 de dezembro de 2012, no auditório Professor Benedito Nunes, da Universidade Federal do Pará – UFPA. Acompanhe a seguir a programação do evento. 

Programação do XXI Seminário Nacional de Segurança das IPES 

Dia 26 de novembro. 

8h – Abertura do credenciamento.  

9h- Abertura oficial e leitura do regimento. 

12h- Almoço. 

14h- Conjuntura Nacional, EBSERH – Fasubra. 

16h- Anexo III e IV da lei 11091/05 e decreto 5824/06 C.I.S e Fasubra. 

18h- Encerramento do primeiro dia de credenciamento. Reabertura dia 27 das 8h até às 12h. Sem prejuízo de recursos 

19h- Jantar. 

27 de novembro. 

8h – Reabertura do credenciamento, e Palestra Projetos de lei em tramitação no Congresso Nacional.  

10h- Palestra: Políticas afirmativas. 

12h- Almoço, e encerramento do credenciamento. 

14h- Palestra: Gerenciamento de crise (voltado para as IPES). 

16h- Palestra: Segurança eletrônica (voltada para as IPES). 

19h- Jantar. 

28 de novembro.

8h- Palestra: Qualidade de vida e meio ambiente.

Palestrante. 

10h - Direitos Humanos e segurança nas IPES.

Palestrante. 

12h- Almoço. 

14h - Painel informativo – Educação e segurança no Trânsito nas IPES.

Palestrante. 

16h-Palestra: Legislação e suas contradições na segurança das IPES.

  1. A.Uso ou não do armamento.
  2. B.Assessoria jurídica ao vigilante em serviço.
  3. C.Limite do uso da autoridade.  

Palestrante. 

19h- Jantar. 

29 de novembro

8h- Trabalhos em grupo. 

12h- Almoço. 

14- Evento cultural. 

19h- Jantar. 

30 de Novembro. 

9h- Plenária final Leitura e aprovação das propostas dos grupos de trabalho. 

12h- Almoço.

14- Continuação da plenária final e Eleição da sede do XXII. 

Eleição da coordenação do XXII Seminário das IPES. 

OBS: Em atenção ao relatório final do XX seminário nacional realizado em Pelotas, RS, foi colocado em consulta sobre o novo modelo de processo eleitoral para a coordenação do XXII Seminário Nacional de segurança das IPES foi colocado que deveria ser feito nos mesmos moldes da FASUBRA e que seja mantido o modelo atual, após ampla discussão e colocado em votação, ficou mantido o sistema atual com a dois votos contra e duas abstenções.  

19- jantar. 

1° Dezembro

9h- Entrega dos certificados e encerramento. 

Serviço: Quem quiser mais informações sobre o evento, por favor, ligar para a organização, nos telefones: (91) 3201-7390 e 3201-8220

 

 

 

 

 

 

VI Fórum Nacional de CIS - UFRGS, UFCSPA E IFRS

FORUM

Esse é um evento da UFRGS, UFCSPA E IFRS.

As Comissões Internas de Supervisão (CIS) da UFRGS, da UFCSPA e do IFRS Campus Porto Alegre convidam para o VI Fórum Nacional de CIS todos os interessados na Supervisão do Plano de Carreira dos Cargos Técnico-Administrativos em Educação (PCCTAE).

O evento acontecerá de 19 a 22 de novembro, em Tramandaí-RS, e visa aprofundar a discussão sobre temas ligados ao PCCTAE. Será o primeiro encontro nacional das comissões depois de assinado o Termo de Acordo No. 2 de 2012, que altera alguns pontos do plano de carreira.

O evento é destinado aos servidores integrantes das Comissões Internas de Supervisão das Instituições Federais de Ensino (IFEs), assim como a todos os servidores das IFEs, representantes de entidades sindicais e da Comissão Nacional de Supervisão do PCCTAE.

Inscreva-se!

Mais informações acesse: http://vifncis.wordpress.com/