Fasubra Sindical

Switch to desktop Register Login

Nota de pesar da Fasubra-sindical pelo falecimento do reitor da UFSC, Luís Carlos Cancellier Olivo


 

A Direção Nacional da Federação dos Sindicatos de Trabalhadores Técnico-Administrativos em Educação das Instituições Públicas de Ensino Superior Brasileiras – Fasubra-Sindical, manifesta seu pesar pelo falecimento do Reitor da Universidade Federal de Santa Catarina, manifestando sua solidariedade com familiares e amigos do professor Luís Carlos Cancellier Olivo.

 

O Reitor estava afastado de suas funções administrativas e acadêmicas por determinação judicial, acusado de obstrução da justiça, em meio a um processo cujas ações da polícia e justiça federal vinham sendo consideradas desproporcionais diante dos fatos e da disponibilidade de colaboração do Reitor e da administração.

 

Atualmente o país vive diante de um golpe à democracia constitucional em que ações policiais e da justiça ganham a mídia de forma descontextualizada e muitas vezes panfletária, promovendo o julgamento “popular” e condenação de “suspeitos” por meras convicções, quando deveria a presunção de inocência ser a base das ações das instituições democráticas.

 

Defendemos uma ampla apuração das denúncias envolvendo a UFSC, com punição de envolvidos se comprovadas as denúncias, mas divergimos da metodologia de divulgar juízos de valor e de punir preventivamente, pois essa prática contradiz os direitos individuais e coletivos, e torna inviável a reconstrução de reputações, mesmo se comprovada a inocência.

 

Decisões arbitrárias nos conduzem para processos reacionários e fascistas, dos quais a história de nosso país, infelizmente, possui vários exemplos. Mesmo na esfera sindical, somos seguidamente contestados por órgãos de controle e ações judiciais, quando a existência de direitos trabalhistas são classificados como absurdos de existirem. Essa prática de presunção de culpa por determinada condição ou posição social, nas ações policiais e na justiça, são muito recorrentes contra a população pobre, e chega também altos escalões políticos e institucionais.

 

Brasília, 03 de outubro de 2017

Direção Nacional da Fasubra