1º de Maio – Dia Internacional do Trabalhador

O mês de maio para os trabalhadores técnico-administrativos em educação começa com a preparação da Categoria na luta por direitos no XXIII Congresso Nacional da FASUBRA.

 

A vida laboral do servidor público na defesa de seus direitos sempre permaneceu intensa. Por não ter a regulamentação da negociação coletiva como os trabalhadores da iniciativa privada, os instrumentos de pressão para alcançar reivindicações são as paralisações, atos e greves.

 

O mês de maio para os trabalhadores técnico-administrativos em educação começa com a preparação da Categoria na luta por direitos no XXIII Congresso Nacional da FASUBRA. Realizado em poços de Caldas-MG de 06 a 11 de maio, o congresso é o momento de organização e renovação do quadro de diretores da Federação.

 

As ameaças à Carreira dos TAEs avançam no contexto atual, como o descumprimento do Termo de Acordo de 2015 pelo governo de Michel Temer, a publicação do Decreto 9.262/18, que extingue mais de 60 mil cargos no serviço público federal e proíbe a realização de concursos e a proposta de estruturação das carreiras (carreirão).

 

O sucateamento do Sistema Único de Saúde (SUS) e a proposta de transferência de recursos para financiar a alta complexidade dos planos de saúde  privados, retirando a atenção pública, gratuita e universal de 50% da população, avançam a passos largos. Isso preocupa principalmente os trabalhadores dos hospitais universitários. O silêncio do governo diante das reivindicações da Categoria por abertura de negociações e reajuste salarial permanece.

 

As estratégias de ação  contra os ataques aos direitos constituídos serão amplamente discutidas no congresso da Federação.

História do 1º de Maio

Desde o fim do século XIX, em vários países, o dia 1º de maio é comemorado como o Dia do Trabalho (ou do Trabalhador). A escolha desta data homenageia a memória dos trabalhadores vítimas de conflitos com a polícia em Chicago, EUA, decorrentes da onda de manifestações em função da realização de uma greve geral que paralisou os parques industriais daquela cidade no ano de 1886.

 

Com a Revolução Industrial, a formação da classe operária demandou uma série de necessidades que, na maioria das vezes, não era cumprida pela burguesia industrial. As horas trabalhadas eram excessivas e a relação entre empregado e empregador extremamente conflituosas. Nesse contexto de opressão aos trabalhadores, surgiram os sindicatos e os movimentos organizados, que lutavam por melhores condições de vida e trabalho, orientados por ideologias de esquerda.

 

Já nos primórdios, a principal forma de ação das organizações de trabalhadores com vistas à exigência de direitos era a greve, um instrumento de pressão frequentemente utilizado pelas categorias profissionais. Como resposta às reivindicações dos trabalhadores, ocorria forte repressão do aparelho do estado. A greve geral de 1º de maio de 1886 em Chicago também resultou em repressão policial, o que estimulou outras manifestações, durante vários dias. Em conseqüência, houve vários confrontos entre manifestantes e policiais, verdadeiras batalhas campais que tiveram como resultado um grande número de mortos e feridos.

 

Esse conjunto de eventos, desencadeados a partir de 1º de maio, tornou-se símbolo para as manifestações e lutas por direitos trabalhistas nas décadas seguintes em várias partes do mundo, sendo que até hoje a data é uma importante e significativa referência para a classe trabalhadora.

 

O 1º. de maio no Brasil

A menção ao Dia 1º de maio no Brasil já ocorria na década de 1890, após a Proclamação da República, no início do processo de desenvolvimento da indústria brasileira. Nas duas primeiras décadas do século XX, começaram a formar-se os movimentos de trabalhadores organizados, sobretudo em São Paulo e no Rio de janeiro.

 

Em 1917, a cidade de São Paulo protagonizou uma das maiores greves gerais já registradas no país. A força do movimento dos trabalhadores foi tamanha que, em 1925, o governo federal instituiu o 1º de maio como Dia do Trabalho no Brasil. Desde então a data passou a ser feriado nacional e marcada por uma série de eventos, tanto festivos como políticos.

 

Assessoria de Comunicação FASUBRA Sindical